Log in

O segredo do sucesso de Jorge Jesus na Liga portuguesa

O segredo do sucesso de Jorge Jesus na Liga portuguesa - 4.9 out of 5 based on 10 votes
O segredo do sucesso de Jorge Jesus na Liga portuguesa Tasca do Futebol O segredo do sucesso de Jorge Jesus na Liga portuguesa

Depois do fantástico resultado da noite de ontem, frente ao Lokomotiv de Moscovo, era imperativo que fossemos analisar ao detalhe a estratégia deste grande treinador português, para percebermos o seu sucesso em terras Lusas.

Jorge Jesus, decididamente, marcou os últimos 6 anos do futebol português. À frente do Benfica venceu por 3 vezes o Campeonato, 1 Taça de Portugal, 5 Taças da Liga e 1 Supertaça.

Este palmarés, que é muito superior ao da maioria dos treinadores dos grandes clubes da Europa e é frequentemente relembrado por Jorge Jesus, aparentando algum receio em que as pessoas se esqueçam dele. Em tom de introdução vamos olhar um pouco mais ao detalhe para estes 6 anos e piscar o olho ao início de época do Sporting. 

2009-2010

No ano de estreia ao comando dos encarnados, Jesus para além de prometer que ia ser campeão ajudou jogadores como Quim, Luisão, David Luiz, Javi Garcia, Ramires, Pablo Aimar, di Maria, Cardozo ou Saviola a atingirem o estrelato. Sob o comando deste brilhante treinador, estes jogadores banais conseguiram ganhar um Campeonato português e uma Taça da Liga.

2010-2011

Na sua 2ª temporada na Luz, Jorge Jesus conseguiu ser 2º classificado, ficando a 21 pontos do Porto e foi um bom anfitrião na jornada do título ao perder em casa com os azuis e brancos por 1-2. Nesse ano Jorge Jesus (não o Benfica) voltou a vencer a Taça da Liga. Jesus este ano teve a desculpa de não ter tido um plantel tão bom como anterior, pois só tinha sob os seus comandos jogadores como Fábio Coentrão (sim, é uma invenção de Jesus que correu bem), Luisão, David Luiz, Javi Garcia, Salvio, Aimar, Gaitán, Cardozo e Saviola.

2011-2012

Esta época foi um ponto de transição e renovação no plantel benfiquista. Jesus perdeu jogadores importantes e ficou com menos opções de escolha, o amadorense teve de se contentar com jogadores como Luisão, Garay, Javi Garcia, Matic, Aimar, Gaitán, Enzo Pérez, Cardozo, Saviola e Rodrigo. Opções muito diferentes dos anos anteriores, o que naturalmente dificultava o trabalho de um treinador, por muito bom que seja, como é o caso de Jorge Jesus. Apesar de tudo Jorge Jesus conseguiu liderar o parco plantel até mais uma vitória na muito competitiva Taça da Liga (já começam a perceber onde é que ele é mesmo bom!). 

2012-2013

Iniciar 4ª temporada ao leme de um clube como o Benfica era por si só um marco importante, tendo o mesmo chegado a deixar no ar a seguinte questão: "O que era o Benfica antes de mim?". Depois da vitória nos Barreiros à 27ª jornada já nada impediria JJ de se tornar novamente campeão. Faltava jogar em casa com o Estoril e Moreirense e a sempre difícil deslocação ao Dragão. O Benfica tinha 4 pontos de avanço sobre o Porto mas depois um empate caseiro com o Estoril e da derrota no Dragão, no célebre jogo onde Kelvin marcou o golo da vitória aos 92’, tudo mudou e o Porto foi campeão…. Esse mesmo minuto foi fatal na final da Liga Europa. A Taça de Portugal foi perdida para o Vitória de Guimarães em 5 minutos, depois de os encarnados terem estado na liderança do encontro. A competição de eleição de Jorge Jesus também não foi vencida pelos benfiquistas.

Terão os recursos de Jorge Jesus sido poucos para explicar estes resultados? Deixamos-vos alguns dos nomes do plantel: Artur, Luisão, Garay, Javi Garcia, Matic, Enzo Pérez, Aimar, Salvio, Gaitán, Cardozo, Lima, Rodrigo e Saviola. 

2013-2014

Este plantel sofreu grandes alterações e as grandes figuras foram Oblak (Gr na 2ª metade da temporada), Luisão, Garay, Matic, Enzo Pérez, Salvio, Gaitán, Cardozo, Rodrigo e Lima. O jovem sérvio Markovic também teve um papel importante ao ser utilizado com mais frequência na 2ª metade do campeonato e a funcionar como um suplente de grande utilidade. Jorge Jesus voltou a conseguir levar a sua equipa à final da Liga Europa e desta vez não perdeu no minuto 92’, perdeu nas grande penalidades frente ao Sevilha. Os encarnados venceram o Campeonato, a Taça de Portugal e a Taça da Liga, estas últimas duas competições frente ao Rio Ave. Esta época foi limpinha, limpinha!

2014-2015

E mais um grande ano para Jesus! Desta vez o treinador conseguiu conquistar o campeonato e, naturalmente, a Taça da Liga. O Campeonato foi bastante difícil, tendo Jorge Jesus sido consagrado campeão na penúltima jornada, com a ajuda do Belenenses a travar um Porto que queria repetir a gracinha já feita anteriormente. Nas competições europeias as coisas não correram muito bem, tal como Jesus gosta.

A ajudar  Jorge Jesus estiveram alguns jogadores como Júlio César, Luisão, Enzo Pérez, Talisca (jovem brasileiro descoberto por Jorge Jesus), Salvio, Gaitán, Lima e Jonas. 

2015-2016

Já como treinador do Sporting, começa a época com a conquista da Supertaça, precisamente frente ao Benfica. O Benfica jogou com uma equipa muito desfalcada e mesmo assim o Sporting conseguiu o golo num lance de alguma sorte. As exibições dos leões tem sido brilhantes e as vitórias difíceis frente a adversários de dificuldade acentuada como o Tondela, a Académica ou Rio Ave – fora de Alvalade. Em casa o Sporting conseguiu ganhar 1 ponto ao Paços de Ferreira.

Para as competições europeias, Jorge Jesus foi impedido de vencer os russos do CSKA e do Lokomotiv pelas equipas de arbitragem.

Esta temporada o futebol do Sporting tem sido uma verdadeira maravilha, ao nível de um Barça dos tempos de Pep Guardiola!

Falhar é morrer

Numa primeira análise podemos comparar qualquer um dos planteis que Jorge Jesus teve à sua disposição no Benfica e o que tem atualmente no Sporting. Conseguem encontrar algumas diferenças???

Outra análise interessante é o foco do treinador nas competições nacionais, o que pode ser explicado por as suas equipas não terem competência para lutar com os colossos europeus, mas ao mesmo tempo vemos o Benfica a não fazer grande figura na Liga dos Campeões e depois a conseguir chegar à final da Liga Europa e a vacilar nos jogos decisivos. Outra explicação que me pode passar pela cabeça é a incompetência do treinador perante os jogos em que tudo se decide naquele encontro, onde se falharmos morremos, onde não podemos corrigir o resultado em 3 ou 4 jornadas. Nesses encontros decisivos Jorge Jesus mostra a sua verdadeira veia de treinador e falha! Não será esta a razão pela qual nenhum dos grandes clubes europeus avançou para a sua contratação???

Na época passada conseguiu ser campeão na penúltima jornada, sendo favorecido com o empate tardio do Porto no Restelo. O Benfica dependia de si próprio, bastava ganhar o jogo, mas Jesus mais uma vez não o soube fazer. Com o empate em Guimarães e a vitória do Porto no Restelo 2012-2013 parecia que se ia repetir mas Tiago Caeiro decidiu colocar o seu nome na história desse campeonato e fez o golo do empate do Belenenses, deixando o Benfica com 3 pontos de vantagem sobre o Porto para a última jornada mas com vantagem no desempate direto. 

2012-2013 foi o exemplo perfeito de más decisões nos momentos decisivos. No Dragão, onde um empate era suficiente, Jorge Jesus foi jogar para empatar e como José Peseiro bem sabe, quem joga para empatar geralmente perde…. e o Benfica perdeu. Na Liga Europa, fez o erro de esperar pelo prolongamento e…. perdeu….

Esta época, com o CSKA, a vencer fora por 0-1 e com o resultado agregado de 3-1 Jorge Jesus pensa que os russos não jogavam nada e decide adormecer o jogo e esperar.... eles não esperaram e ganharam dentro dos 90’.

Ontem o Sporting sentiu o que é o Jorge Jesus nas competições europeias, é um treinador que se serve destas competições para rodar metade da equipa, mais grave ainda é quando muda peças que nesta fase da temporada ainda não estão desgastadas mas que são importantíssimas (Naldo).

O que estranhamos é a forma perfeitamente injustificável que alguns dos notáveis do Sporting se vendem a este pretenso treinador que fora do seu 4-4-2 não consegue fazer nada de especial e basta ver a forma como as equipas facilmente ganham ao sistema fantástico de Jesus, com lançamento longos para os seus jogadores mais adiantados, por forma a que estes aproveitarem o balanço ofensivo que Jorge Jesus gosta de incutir nos seus laterais, o que naturalmente deixa buracos gigantescos para serem aproveitados por jogadores razoavelmente rápidos.

Agora somos nós que perguntamos: O que era o Sporting antes de Jorge Jesus? Quando será que ele se vai voltar ajoelhar?

Mídia

Quem falha morre FC Porto
Modificado emsegunda, 09 maio 2016 19:47
Armando Correia

Emigrante Português no Luxemburgo, com muitas saudades da minha terra. Prometo defender o meu Sporting Clube de Portugal com a raça e paixão muito à imagem do meu clube do coração.

11°C

Lisboa

Partly Cloudy

Humidity: 82%

Wind: 24.14 km/h

  • 24 Mar 2016 18°C 9°C
  • 25 Mar 2016 18°C 12°C
Web Analytics